Venci a depressão com acupuntura emocional sem agulhas

Com a técnica, ainda consegui emagrecer, resolvi minha vida amorosa e profissional e fiquei livre da asma!

Reportagem: Simone Tobias (colaboração: Caroline Cabral)

Venci a depressão com acupuntura emocional sem agulhas | <i>Crédito: arquivo pessoal
Venci a depressão com acupuntura emocional sem agulhas | Crédito: arquivo pessoal

Sabe quando você sente que tudo na sua vida está desmoronando? Eu passei por isso há cinco anos: estava acima do peso, em um relacionamento muito desgastado, sem vida social, me sentindo horrorosa e frustrada como profissional de psicologia. Além disso, sofro de asma desde sempre e piorei nessa época. Era impossível andar até a esquina sem minha bombinha! E o pior era que eu não tinha nenhuma perspectiva de sair daquele ciclo, daquela apatia. Eu estava perdida e não sabia como mudar minha situação.


Não conseguia ajudar nem a mim nem aos meus pacientes

Meu casamento ia de mal a pior, em 2011, porque meu marido na época tinha sérios problemas com álcool. Era muito difícil para meu filho, Marcelo, que tinha 20 anos, presenciar o fim do amor na nossa união. O que me deixava ainda mais frustrada era que sou psicóloga e não conseguia aplicar na minha vida os conceitos que tinha aprendido em anos de estudo. E isso me deixava muito insegura em relação à minha carreira. Eu tinha um consultório que também não ia bem porque não me sentia confiante para ajudar meus pacientes.

Além disso, eu me olhava no espelho e me achava feia, desinteressante, apagada. Vivia ansiosa e acabava comendo demais. Acabei engordando 7 kg e minha autoestima ficou ainda mais abalada. Por tudo isso, deixei de sair para me divertir, de viajar, de encontrar os amigos...

Percebi que era o momento de agir, pois a depressão estava dando sinais claros de que ia se manifestar. Percebi que não era o caso de usar medicamento ou fazer psicoterapia. Minha transformação deveria partir de mim. Por isso, fui em busca de cursos para recuperar a autoestima e conquistar segurança para seguir em frente e mudar minha realidade.


A gente pode se autoaplicar

Pesquisando, encontrei um curso de acupuntura emocional sem agulhas, o EFT, de Emotional Freedom Techniques - a tradução é Técnicas de Libertação Emocional. Fiquei curiosa, pois nunca tinha ouvido falar nisso.

O tratamento prometia fazer um desbloqueio das energias negativas do corpo, ajudando as pessoas a superarem medos, memórias ruins, raiva, solidão, insegurança, ansiedade, falta de amor-próprio e até doenças.

Nessa técnica, o terapeuta usa os dedos para tocar nove pontos do corpo humano tratados pela acupuntura tradicional enquanto o paciente mentaliza um problema emocional ou físico. O procedimento ainda tem a vantagem de o paciente poder se autoaplicar para se curar. Decidi aprender a EFT para tentar superar meus problemas e utilizar em meus pacientes. O curso custava R$ 450 e durava um fim de semana.

Nas aulas, tive que elaborar uma lista com tudo que me incomodava. Relatei minha crise no casamento, na vida profissional, a baixa autoestima, a insatisfação com meu corpo e meus problemas respiratórios. Era o momento de aprender a lidar com todos esses sentimentos!


Limpei o lixo emocional e transformei minha vida

Apliquei a acupuntura em cada ponto do meu corpo, fazendo uma faxina emocional de cerca de 50 minutos. O que me deixou impressionada é que nos primeiros dez minutos de aplicação já me senti completamente diferente, muito mais em paz.

Deixei o curso totalmente modificada, cheia de coragem para iniciar uma nova vida, mais positiva e feliz. Continuei aplicando a EFT em mim, para continuar tratando a asma, e em dois irmãos, que foram minhas cobaias.

O primeiro efeito foi que minha doença crônica foi desaparecendo aos poucos. Nunca mais precisei usar minha bombinha nem fazer inalação! E minha irmã, após uma única sessão da acupuntura emocional se curou de uma enxaqueca fortíssima que tinha havia dez anos!

Como estava 7 kg acima do peso, também usei as aplicações para controlar a gula e a ansiedade. Assim, consegui cuidar da alimentação e perder peso aos poucos. Eu já me sentia mais confiante e conseguia encarar tudo de um modo mais positivo. Só faltava sair do meu casamento ruim.


Mais corajosa, tive força para terminar um casamento de 22 anos

E aí, um mês depois, em maio de 2013, reencontrei um moço da minha cidade natal que estava morando em Brasília (DF). Eu não tinha contato com ele havia 40 anos. Começamos a conversar todos os dias e, mesmo virtualmente, me apaixonei pelo Bruno. Em julho, eu estava embarcando num avião para visitar meu novo amor! Isso foi mais um benefício do tratamento com a EFT!

Quando voltei pra casa, no mesmo dia, terminei meu casamento de 22 anos. Meu ex entendeu e cada um seguiu seu rumo, sem drama. Encontrar outra pessoa foi outro efeito positivo do tratamento da EFT. Conversei com meu filho e meu irmão e eles me incentivaram a viver aquela história de amor. Sabe o que fiz? Me mudei de mala e cuia para Brasília com o objetivo de recomeçar.

Abri um consultório na minha nova cidade e passei a aplicar a EFT nos pacientes, sempre com muito sucesso! Mas, em abril do mesmo ano, decidi voltar para Recife porque sentia muita saudade da minha família.

Hoje, atendo meus pacientes em meu novo consultório. Consegui emagrecer 7 kg e estou em paz comigo, em todos os aspectos. É como se eu tivesse reencarnado no mesmo corpo, como uma pessoa muito melhor, feliz, realizada, segura e mais saudável!

Maria Goretti da Silva Lima, 53 anos, psicóloga, Recife, PE


DA REDAÇÃO

Técnica trata problemas físicos e emocionais

A EFT (Técnicas de Libertação Emocional), também conhecida como acupuntura emocional sem agulhas, foi criada nos anos 80 nos Estados Unidos. O objetivo do tratamento é desbloquear sentimentos que prejudicam o desenvolvimento pessoal. "As emoções negativas estão ligadas a uma interrupção no fluxo energético no nosso corpo. A EFT restabelece esse fluxo e gera resultados bem expressivos no tratamento de problemas físicos e emocionais", afirma André Lima, terapeuta holístico especializado na técnica. Segundo ele, o processo é simples e qualquer pessoa pode fazer. "O método combina falar e pensar em questões emocionais enquanto toca nos pontos de acupuntura e desbloqueia as emoções. Geralmente, uma sessão de 50 minutos é suficiente. Em casos de doenças, pode levar mais tempo", explica. "A EFT não substitui tratamentos da medicina e psicologia, mas pode ser uma terapia complementar", conclui.

06/10/2016 - 18:34

Conecte-se

Revista Sou mais Eu