Uso a grana do cigarro para viajar e até para fora do Brasil eu fui!

O vicio quase me matou e eu resolvi tomar uma atitude. Foi a melhor coisa que eu fiz!

Reportagem: Luiza Schiff

Foi a melhor coisa que eu fiz! | <i>Crédito: Redação Sou Mais Eu
Foi a melhor coisa que eu fiz! | Crédito: Redação Sou Mais Eu

Quando eu tinha 18 anos, era legal fumar. Coisa de homem elegante, sabe? Mas o que começou por diversão virou 35 anos em que fumei até quatro maços por dia. E isso quase terminou na minha morte. Em 24 de julho de 2005, eu estava dirigindo quando tive uma crise de tosse. Minha vista escureceu. Por sorte, consegui parar o carro – também freei e meu vício em nicotina!

Depois daquele dia, decidi que depositaria todo o dinheiro que costumava gastar com cigarro num cofrinho. Assim, passei a guardar diariamente R$15,00, sempre em moedas de R$1. No primeiro ano, poupei o bastante para comprar uma bicicleta. Praticar o esporte me incentivou a entrar em uma academia e, depois, a participar de um grupo de ciclistas, o Pedalando. Imagina um ex-fumante virando atleta?

Com a grana que antes eu gastava para intoxicar meus pulmões, já comprei uma câmera fotográfica e fiz várias viagens: para Aracaju, Serra Gaúcha...Até Buenos Aires, Chile e Uruguai eu já fui. Todo ano eu abro o cofrinho e lá encontro R$5.000 nas moedas. Em julho abro outro cofrinho e tenho uma certeza: vou alimentar esse cofre para o resto da minha vida. Foi a melhor coisa que eu fiz! 

Nilo Weber Veloso, 68 anos, aposentado, Fortaleza, CE 

Fique por dentro das histórias mais impressionantes do dia. Curta nossa página no Facebook clicando aqui!

15/05/2017 - 18:31

Conecte-se

Revista Sou mais Eu