Meu irmão morreu e seu cavalo sofreu mais do que todos no velório

Companheiros de vaquejada, Sereno relinchou e deitou a cabeça sobre o caixão do seu amado dono

Reportagem: Letícia Gerola

Nada mais justo do que seu grande parceiro estar presente para se despedir | <i>Crédito: Diário do Sertão/Redação Sou Mais Eu
Nada mais justo do que seu grande parceiro estar presente para se despedir | Crédito: Diário do Sertão/Redação Sou Mais Eu

Éramos três irmãos: dois homens e uma mulher. Até que Wagner, o mais velho, de 34 anos, faleceu na madrugada do último dia 2. Ele sofreu um acidente de motocicleta na noite de ano novo. Nossa vida mudou completamente depois dessa tragédia. A perda foi tão grande que todos ficaram comovidos, mas quem sentiu mesmo foi o Sereno: o cavalo do meu irmão sofreu pra burro!

Meu irmão e o Sereno eram grandes parceiros

Wagner era funcionário público em Cajazeiras, no Sertão da Paraíba, mas gostava mesmo era de ser vaqueiro: ele e seu cavalo Sereno participavam da vaquejada todos os meses Na competição, dois vaqueiros montam no cavalo e têm que derrubar um boi – quem alcançar o feito primeiro, ganha. Wagner e Sereno ganharam vários prêmios juntos! A convivência deles era diária: todos os dias, meu irmão ia cedo até a roça dar ração para o cavalo, água, carinho... Já zelava por ele há oito anos.

O cavalo entendeu que meu irmão tinha morrido

Quando meu irmão faleceu decidi que o Sereno participaria do velório. Afinal, aquele cavalo era a paixão dele! Nada mais justo do que seu grande parceiro estar presente para se despedir. O que eu não fazia ideia era de que ele teria uma reação tão amorosa e... humana! Sereno viu o caixão e começou a cheirar tudo. Bastou uma fungada para perceber do que se tratava. Então, ele se pôs a relinchar e cavar o chão com uma pata, acho que era um sinal de tristeza. Até que ele se acalmou e deitou a cabeça no caixão. Era claro: ele estava se despedindo do meu irmão com o pesar de um animal de estimação machucado pela partida do dono. Foi uma surpresa para todos e, certamente, um gesto grandioso do Sereno para dizer adeus ao Wagner.

Sereno faz parte da família

Vou cuidar do cavalo do meu irmão como cuido do meu, que também é um grande parceiro de vaquejadas. Espero que o meu também esteja presente no meu velório, ao lado de meus familiares. Sereno me ensinou que os cavalos também fazem parte da família!

Wando Lima, 28 anos, empresário, Cajazeiras, PB


Fique por dentro das histórias mais impressionantes do dia. Curta nossa página no Facebook clicando aqui!

 

 

 

 

 

13/01/2017 - 17:43

Conecte-se

Revista Sou mais Eu