Gente & Histórias: a gatinha que mudou a vida da pequena autista

Foi amor à primeira vista. Iris é uma pintora de 5 anos e nenhum animal terapêutico a conquistava, até que a Thula chegou. A dupla agora não se larga e a amiguinha a ajuda a se comunicar

Sou Mais Eu Digital

A gatinha que mudou a vida da pequena autista | <i>Crédito: Divulgação/Iris Grace Painting
A gatinha que mudou a vida da pequena autista | Crédito: Divulgação/Iris Grace Painting
Era uma vez, em um reino chamado Market Harborough, em Leicestershire, Inglaterra, uma menininha de nome Iris Grace Halmshaw, de 5 anos. Ela vivia em um lindo jardim, entre flores coloridas, árvores, luz do sol, tintas e pincéis. Adorava contemplar a natureza ao lado da gatinha Thula, sua melhor amiga. Vestindo uma capa feita por sua mãe, a garotinha pintava por horas a fio. Tinha um dom especial: tão novinha , passou a criar lindas paisagens, elogiadíssimas por amantes das artes. Gota a gota, e eram muitas, Iris construía um mundo só seu, cheio de cores e sensações. No quintal de sua casa, a menina e a gata Thula reinavam felizes. Ali, ninguém diria que Iris possuía severos problemas de comunicação e interação social. Ou que ela ficava desesperada diante de situações banais, como a presença de outras crianças e o ato de fazer contato visual com os outros. Em seu universo lúdico e único, Iris é portadora de autismo, diagnóstico que recebeu em 2011, aos 2 anos. O transtorno é uma desordem neurológica incurável, A gatinha que mudou que pode prejudicar a capacidade de interagir com o mundo. 

Educada em casa, Iris começou a pintar em 2013, incentivada por seus pais, que inventaram sessões de arte para estimular a concentração e a fala, tentando seguir o currículo nacional de educação no Reino Unido. A ideia era proporcionar uma atividade que distraísse a filha e a ajudasse a tentar se comunicar, uma das ferramentas da chamada arteterapia. O que aconteceu pouco depois foi surpreendente. Pinturas extraordinárias para uma criança (e até um adulto comum) tomaram forma. Era o olhar da menina autista para os habitantes de seu mundo encantado, repleto de natureza e música clássica – Iris se acalma ouvindo música, desde quando era um bebê, conhece todos os instrumentos de uma orquestra e adora o violino, em especial (ela já tem um). 

Eis que chega a gatinha... 

Em fevereiro de 2014, uma nova personagem passou a fazer parte da vida da Iris – e a mudá-la para sempre, aliviando seu isolamento. Thula, com pouco mais de 2 anos de idade, é uma gatinha da raça maine coon, conhecida como inteligente, gentil e... gigante! A raça chega a ficar com 1 m de comprimento, até o fim do rabo. “Thula baixou a ansiedade da Iris e a mantém calma. Ao mesmo tempo, a encoraja a ser mais sociável”, conta a mãe, Arabella. Depois da chegada da gatinha, a menina passou a pronunciar pequenas frases, como: “Senta, gata!” Havia meses que a família procurava por um animal terapêutico. Tentou, em vão, cavalos, cachorros (a hiperatividade do cão a deixava muito nervosa) e até gatos, mas percebeu que ainda não tinha encontrado o companheiro certo até a pequena conhecer a Thula.

Inseparáveis, Iris e Thula fazem tudo juntas. Brincam na água, andam de bicicleta, montam quebra-cabeças, mexem no iPad, desenham, pintam e até tomam banho lado a lado. “Iris passou por um período em que odiava tomar banho e lavar os cabelos. Thula espontaneamente começou a entrar na banheira e a deixar que eu passasse xampu nela também, para ajudar sua amiga”, contou a mãe. 

E assim aconteceu. Após a chegada da gatinha de estimação, Iris passou a ser mais tátil e afetuosa. Influenciada pela amizade, a artista tem acrescentado pinceladas que se assemelham a olhos e nariz de gato. De início, seus pais pensaram ser uma coincidência, mas agora acreditam que a filha está expressando seu amor pela melhor amiga. “Graças a esse preciosa gatinha mágica, novas portas para a comunicação e as emoções de Iris estão se abrindo. Ela está mais feliz do que nunca.” 

Ashton Kutcher curtiu! 

A história de Iris tem sensibilizado muitas pessoas ao redor do mundo para a questão do autismo – e do quanto tratamentos adequados podem trazer evoluções e alegria para quem sofre da doença e para seus cuidadores. Algumas personalidades, como o ator americano Ashton Kutcher, 37, têm ajudado a divulgar o trabalho da pequena pintora. No ano passado, ele comparti-lhou uma foto de um quadro da inglesinha em seu perfil no Instagram, escrevendo na legenda: “Eu quero um desses”. A mãe, Arabella, comentou, na época: “Estou certa de que esse post teve um enorme impacto para aumentar o conhecimento das pessoas. E, ao me deixar guiar pelos interesses de Iris, tenho sido capaz de envolvê-la em muitas coisas. Iniciamos também nosso próprio clube de atividades todos os sábados pela manhã, para apoiar crianças com autismo”. 

Hoje, a garotinha ainda não fala muito – apesar de Thula ser quem geralmente ganha as palavras de atenção de Iris. Mas já é reconhecida por suas magníficas pinturas. Recebeu elogios na Europa, Ásia e América e seus trabalhos passaram a ser vendidos – um colecionador adquiriu uma tela original em um leilão no site por cerca de R$ 54 mil. 

“Muitos artistas, comerciantes e galerias entraram em contato conosco fazendo referências a Monet (mais célebre pintor impressionista, nascido na França no século 19). Mas, para nós, o mais importante é a alegria que ela sente quando está criando suas peças e o quanto seu humor muda”, declarou Arabella ao jornal britânico The Independent.

Foto: Divulgação/Iris Grace Painting

01/10/2015 - 11:30

Conecte-se

Revista Sou mais Eu