A Mia levou as alianças até o altar!

Amamos tanto nossa cachorrinha que ela participou da cerimônia do nosso casamento!

Reportagem: Giulia Gazetta (com colaboração de Luiza Schiff)

Foi a coisa mais fofa! | <i>Crédito: Redação Sou mais Eu
Foi a coisa mais fofa! | Crédito: Redação Sou mais Eu

Eu e o Rafa morávamos juntos e éramos noivos quando fomos até um mercado perto de casa para fazer compras, numa manhã de janeiro de 2013. Quando chegamos lá, vimos um alvoroço do lado de fora. Nos aproximamos e percebemos que havia um estande de doação de cachorrinhos. A maioria pulava e latia sem parar. A mia que é da raça sharpei, não. Ela estava sossegada, no canto dela, como quem diz: “Que bagunça é essa aí, pessoal?”. 

O fato de ela ser diferente dos outros chamou nossa atenção. Quando pegamos no colo, seus olhos azuis nos deixaram sem palavras. Nós a abraçamos por um tempo, mas não tivemos coragem de levá-la. Tínhamos medo de não dar conta da responsabilidade. Saímos de lá frustados. 

Aí, no meio da tarde, depois de uma ausência misteriosa, o Rafa retornou ao escritório onde trabalhamos com a Mia no colo. Senti uma alegria sem tamanho, aquele era o começo da nossa família. Eu sabia que a bichinha seria parte fundamental da nossa história e queria que ela estivesse presente em todos os nossos momentos. 

A ideia surgiu como brincadeira 

Quando decidimos a data do nosso casamento, 21 de setembro de 2013, entre todos os preparativos, surgiu a dúvida: quem levaria as alianças? Aí, brincando, sugeri que a gente colocasse a Mia pra ser nossa pajem. O Rafa levou a brincadeira a sério e começamos a fazer planos. 

Pensamos em colocar o namorado da minha irmã, que adora a Mia e se dá superbem com ela, para acompanha-la até o altar. Fomos nos empolgando cada vez mais, até que batemos o martelo: nossa cachorrinha levaria nossas alianças no nosso casamento! 

O próximo passo foi pensar no visual da Mia para o casório. Tive a ideia de fazer um colar de flores para colocar no pescocinho dela. Decidimos usar as mesmas flores que estavam no buquê das damas. Minha sofra fez um saquinho para colocar as alianças e prender ao colar. 

A Mia foi treinada por um mês

Treinamos a Mia por um mês antes da cerimônia: toda noite, a gente colocava pra tocar a música com a qual ela entraria na cerimômia, que ia ser realizada no jardim de uma casa de eventos. Andávamos lentamente pela casa com a nossa pequena na coleira pra ela se acostumar com o ritual. 

Quando chegou o grande de dia, a Mia se comportou muito bem: não latiu nem chorou e fez uma entrada triunfal! Todo mundo se emocionou ao ver nossa cadelinha com as alianças... Depois que ela nos entregou, ficou assistindo a cerimônia sentadinha ao lado de uma árvore. 

A Mia também recepcionou os convidados recepcionou os convidados na festa, em outro espaço no jardim. Uma fofa! A cerimônia foi muito especial e emocionante pra nós, mas, quando vimos a nossa cachorrinha caminhar até a gente com as alianças, foi lindo demais! 

Ela faz parte da nossa história e da nossa família e transformou nosso casamento em um momento completo e inesquecível! 

Bruna Saratt, 32 anos, engenheira, Campo Grande, MT 

"O momento ganhou um significado maior"

"Depois que vi a Mia pela primeira vez, não consegui tirá-la da cabeça. A carinha amassada dela e seus olhos azuis me conquistaram. Foi amor à primeira vista! Entrei na internet para pesquisar sobre a raça sharpei e descobri que ela é dócil e fiel. Seria uma companhia muito boa pra nós! Eu e a Bruna podemos dizer com a boca cheia: no dia do nosso casamento, todas as pessoas mais importantes pra gente estavam lá, inclusive nossa cadelinha! Graças à Mia, nossa noite ficou completa e o momento da troca das alianças foi muito mais especial e significativo. Quando ela se aproximou do altar e me viu, logo pulou no meu colo e esticou o pescoço para que eu pegasse as alianças. Tenho certeza que pra ela também foi um grande presente dividir aquele momento com a gente!"

Rafael Avezum de Almeida, 34 anos, engenheiro, marido da Bruna 

Da redação 
Treine seu cão em casa
Gostou da ideia da Bruna e do Rafa e quer fazer o mesmo? Então, orientações do adestrador profissional de cães Flávio Tamaio:

1: Comece ensinando o comando "junto". Isso é importante para que o cachorro ande ao lado do guia e não fique puxando a coleira no dia do casamento.
2: Passeie com ele em um ambiente bem movimentado. Quando ele puxar a coleira, diga "não" e posicione-o do seu lado esquerdo. 3: Quando ele obedecer, diga "muito bem" e dê um biscoitinho de presente.
4: Comece a treinar o animal com pelo menos dois meses de antecedência.
5 : Quando estiver chegando perto da data, acostume seu cão a usar o colar das alianças no pescoço. Assim, não há o risco de ele estranhar.

07/07/2017 - 16:09

Conecte-se

Revista Sou mais Eu