"Vendo pipoca gourmet e lucro R$ 3 mil!"

Karla começou o negócio com menos de R$ 400 há apenas três meses e já faz sucesso nas festas infantis e com venda avulsa

Reportagem: Caroline Cabral

KARLA REZENDE DE BORBA | <i>Crédito: Henrique Vieira
KARLA REZENDE DE BORBA | Crédito: Henrique Vieira
Cozinhar é uma das minhas paixões, assim como produtos de beleza. Gosto de me aventurar nas panelas e pincéis de maquiagem. Mas, até três meses atrás, encarava apenas a venda de cosméticos como fonte de renda e reservava minhas experiências na cozinha para momentos de lazer com família e amigos. Foi uma amiga querida que trabalha com festas, a Aline Cavallaro, quem me propôs um novo desafio. “Por que você não faz pipoca gourmet para vender?” Ela sabia que eu levo jeito e que as clientes dela comprariam. De fato: em pouco tempo, isso se revelou um belo negócio. 

A demanda era alta e o negócio já começou bem 

Quando a Aline me falou sobre o assunto, disse que a demanda era tão grande que algumas clientes haviam encomendado pipoca gourmet de outras cidades e pagado frete! Eu nem sabia que o raio gourmetizador, meme que tira sarro de pratos baratos que ganham versões gourmets caras, já tinha chegado ao milho estourado. No dia seguinte, pesquisei receitas na internet e encontrei uma bem diferente, sabor Leite Ninho®. Com o que tinha no armário de casa, testei a primeira leva. Queimei uma parte, mas não desisti. Depois de errar muito, encontrei as medidas ideais.

 Depois que acertei a receita, fiquei maravilhada com o resultado. Era incrível como algo tão simples poderia ficar tão especial! A Aline, a primeira a provar minha pipoca, também aprovou. “Que delícia! Nunca comi uma pipoca tão gostosa!”, disse. Como ela é entendida, o elogio me deu um baita gás e resolvi investir. Comprei uma panela antiaderente grande especial para pipocas por R$ 250 e gastei mais R$ 50 em ingredientes. Fiz três sacos com 1 kg de pipoca estourada com Leite Ninho® a R$ 60 cada. Nesse primeiro momento, as clientes foram amigas que haviam provado amostras e gostado. Aí, reaproveitei a grana para comprar mais material e testar outros sabores, como Nutella®, churros e até Kit Kat®! Parece fácil, mas pipoca gourmet é um negócio delicado. Se paro de mexer antes da hora, queima. Se o fogo fica alto demais, queima. A verdade é que um pouco sempre queima, por isso preciso selecionar as pipocas boas manualmente. 

Foto: Henrique Vieira

Além de acertar o ponto, investi na apresentação 

Depois dessa primeira venda, passei a fazer o produto em quantidades maiores, para abastecer festas e eventos. Comecei a oferecer sacos de 5 kg. Aline foi minha primeira compradora. Ela estava promovendo um grande evento em Uberlândia, uma cidade pertinho da minha, e me deu uma força. Ela encomendou 6 kg com sabores como morango, Kit Kat®, churros e Leite Ninho®, o que me rendeu R$ 520! No caminho de volta para casa, fiz paradas estratégicas em comércios relacionados a festas para fazer um pouco de marketing pessoal . Entreguei amost ras dos diferentes tipos de pipoca que tinha e deixei meu contato em todos os lugares onde pude. Aos poucos, fui caindo na boca do povo! 

Com muita pesquisa e um bom direcionamento da Aline, percebi que, além do sabor inigualável, uma boa apresentação era essencial para conquistar clientes. Por isso, peguei o dinheiro da primeira festa, contratei um designer e criei minha marca, a Mubelo. Afinal, todo produto precisa de um nome e estava indo tão bem em tão pouco tempo que sabia que o negócio vingaria. Fiz cartões de visita e também adquiri peças de decoração para acompanhar minhas pipocas nas festas, como pegadores de inox, uma bonbonnière de cristal, porta-retratos com pérolas, saquinhos personalizáveis etc. Gastei cerca de R$ 650, mas estourei logo na sequência! É que expor as pipocas coloridas com um pouco mais de glamour e firulas faz com que elas pareçam mais gostosas e agrega muito valor ao produto. 

Além das provas que deixei pelos arredores e dos cartões de visita, também divulgo tudo que faço pelo Facebook. Os pedidos chegam até mim por ligação ou via Whats-App! Já cozinhei para festa de casamento, de debutante, feijoada de amigos e, em breve, minha marca estará presente num show. Mas só festa não basta. Também ofereço meu produto em sacos pequenos para consumo doméstico, mas isso só compensa se os clientes buscarem em casa. Assim, todos podem aproveitar as pipocas em um momento especial ou oferecer para visitas e impressionar! 

Dedico três horas do meu dia, de segunda a sábado, às pipocas. Faço as compras, cozinho, entrego e divulgo a Mubelo distribuindo amostras em estabelecimentos comerciais nesse período de tempo. Estouro o milho pela manhã: levanto às 9h e começo separando os ingredientes de acordo com as encomendas do dia. Faço um pouco a mais para deixar de amostra e atender pedidos inesperados. Hoje, só com a venda de pipocas, faturo R$ 4 mil. Cerca de R$ 2,5 mil a R$ 3 mil são lucro! 

Quero abrir um espaço para degustação e venda 

A quantidade de pedidos tem crescido tanto que estou me permitindo sonhar. Acho que dá pra chegar a R$ 10 mil de lucro até o fim do ano. Para isso, tenho investido. Os sabores que mais saem são Leite Ninho®, Kit Kat®, churros e paçoca, mas não me acomodo: já criei a pipoca fitness, que leva açúcar mascavo e óleo de coco, e a proteica, com whey protein, nos sabores banana, Nutella® e cookies! Em breve, lançarei as pipocas gourmet de sal! Já fiz de bacon e pimenta. Ficaram ótimas, mas só duram duas horas. Depois, murcham! Já as doces se mantêm por uma semana. 

Consigo fazer tudo isso sem largar o emprego. Meu próximo passo é ter um lugar aconchegante que exale o cheiro das pipocas e onde as pessoas possam degustá-las. Ah, é muito bom amar o que se faz! E o melhor é que minha família sempre me apoiou. Estou cheia de ânimo. A alquimia de transformar ingredientes tão simples em criações saborosas é realmente mágico! - KARLA REZENDE DE BORBA, 35 anos, empresária, Araguari, MG

Como fazer pipoca de Leite Ninho

Ingredientes
• 1 xícara (chá) de açúcar
• 1 xícara (chá) de água
• 3 colheres (sopa) de Leite Ninho®
• 1 xícara (chá) de óleo
• 1 xícara (chá) de milho de pipoca

Passo a passo:

22/09/2015 - 09:00

Conecte-se

Revista Sou mais Eu