Mude sua atitude em relação ao dinheiro e escape da crise!

Não importa sua renda: com os desafios do livro da Patricia Lages, em 180 dias você pode organizar suas finanças, concretizar seus planos e conquistar sua virada financeira

Sou Mais Eu Digital

Patricia Lages | <i>Crédito: Arquivo Pessoal
Patricia Lages | Crédito: Arquivo Pessoal
O livro Virada Financeira, de Patricia Lages, quer mudar a ideia de que mulher só sabe gastar. Em 25 desafios semanais, a autora, que é especialista em finanças do blog Bolsa Blindada, oferece às leitoras a oportunidade de realizarem seus sonhos, mostrando que tudo é possível para quem tem objetivos. Com bom humor, de forma prática e em uma linguagem acessível, Patricia ensina que a transformação pede mudança de pensamentos e atitudes. Nos desafios, a autora traz importantes lições para você driblar a crise e administrar seu dinheiro. Confira alguns trechos a seguir:

Ganhar pouco não é problema

Muitas pessoas podem pensar que estão em uma situação financeira ruim porque ganham pouco. Elas dizem não saber para onde vai o dinheiro e que precisam de um ganho maior para remediar seus compromissos, mas não é bem assim. Se uma pessoa que ganha pouco não sabe para onde seu dinheiro vai, o que vai acontecer se ela ganhar mais? Quem ganha R$ 1 mil, mas deve R$ 2 mil já se acostumou a gastar o dobro do que tem, portanto, se passar a ganhar R$ 2 mil, a tendência é que passe a dever R$ 4 mil. (...) A questão não é o valor, mas a forma de administrar.

Juntar as contas
Na prática, juntar as contas é: 

❚ Ter uma única planilha de orçamento, lançando os ganhos dos dois e todas as contas (suas, dele e da casa). 

❚ Gerenciar juntos as finanças. As decisões devem ser em comum acordo. 

❚ Trabalharem em prol dos mesmos objetivos, em benefício do casal.

Perguntas erradas
Meu amigo estava sentindo-se tão derrotado que, ao ligar para as agências pedindo para marcar entrevistas com aquela voz de derrota, não conseguia nada. Depois, por indicação de amigos, chegou a fazer inúmeras entrevistas, mas todas sem sucesso. Foi aí que ele conversou comigo fazendo as seguintes perguntas: 

❚ Por que isso aconteceu comigo? 

❚ Será que eu mereço isso?
 
❚ O que eu tenho de errado?
 
❚ Por que ninguém me dá uma chance, se sabem que sou bom? 

Vi claramente que, apesar de todos os questionamentos serem totalmente compreensíveis, ele estava fazendo as perguntas erradas. De que adiantava ficar perguntando a sei lá quem por que isso aconteceu e se alguém merece esse tipo de coisa? Quem nesse mundo teria resposta satisfatória para isso? Era perda de tempo e energia. Quando você faz as perguntas erradas, você só chega a resultados negativos, que não levam a nada e ainda a colocam mais para baixo.

Perguntas certas
Agora veja como as perguntas certas podem trazer ações positivas e mudar a situação: 

❚ O que posso fazer nas entrevistas para chamar a atenção dos avaliadores? 

❚ Quais são os pontos positivos da minha experiência de abrir um negócio, apesar de ter passado por tudo isso? 

❚ Como posso mostrar que esses fatos só me tornaram mais forte? 

❚ Como posso oferecer minha experiência sem parecer que estou procurando emprego por falta de opção?

Fazendo as perguntas adequadas você se antecipa aos problemas que podem ser levantados e se mostra muito mais bem preparada para lidar também com os problemas dos outros. Isso não vale só para entrevistas de emprego, mas para tudo na vida. Por isso, tenha sempre em mente que, para ter as melhores respostas, você precisa fazer as perguntas certas. Para isso, considere estas dicas: 

❚ Analise se a pergunta poderá realmente trazer algum resultado prático e positivo. 

❚ Se estiver ligada a qualquer coisa que possa colocá-la para baixo, troque por outra. 

❚ Seja racional durante o processo, evitando que as emoções floresçam. Dessa forma, você alcançará melhores resultados e poderá aprender a lidar melhor com as situações que surgirem.

Dinheiro x Relacionamento
Ah, o amor é lindo! Não sei qual é a sua situação no momento, mas sei que você precisa considerar a questão financeira no seu relacionamento, mesmo que você ainda não esteja em um.

No namoro

Como namorada, você não deve achar que tem autonomia sobre o dinheiro do seu namorado, pois o grau de comprometimento de vocês ainda não chegou a esse nível. Não é o momento de ficar dando “pitaco” em como ele gasta seu dinheiro, nem de querer controlá-lo, é momento apenas de observar os hábitos financeiros dele. (...) Atente para alguns pontos importantes, que podem mostrar quem realmente ele é: 

❚ Não para em emprego 

❚ Torra o salário 

❚ Age como criança 

❚ Pede dinheiro emprestado 

❚ Está endividado 

❚ A família precisa da ajuda dele 

Se você vê que ele gasta demais, por que não conversar sobre esse hábito? Pode ser que ele gaste por não ter objetivos e não por ser um irresponsável. Coloque-se à disposição para ajudá-lo.






11/11/2015 - 09:00

Conecte-se

Revista Sou mais Eu