Bom negócio: delivery de salada de frutas dá grana e saúde

Quando foi demitido do seu emprego, Simão estava sem dinheiro, cansado e abaixo do peso. Hoje lucra R$ 2 mil por mês, trabalha nos seus horários e tem disposição!

Reportagem: Christiane Oliveira

SIMÃO PEDRO OLIVEIRA | <i>Crédito: Arquivo Pessoal
SIMÃO PEDRO OLIVEIRA | Crédito: Arquivo Pessoal
Comecei 2013 com o pé esquerdo. Logo em janeiro fui demitido do supermercado onde trabalhava como repositor de mercadorias. Fiquei transtornado. Eu ganhava pouco, só um salário mínimo, mas era com esse dinheiro que ajudava a pagar as contas da casa onde vivo com meus pais e irmãos. Cansado de ter minha sorte decidida por outros, decidi virar meu próprio patrão. Até pintou uma vaga num lugar bacana, mas não queria mais ser funcionário. Como sou religioso, pedi um sinal a Deus antes de tomar uma decisão e Ele respondeu. De repente, senti uma forte convicção de que trabalhar pra mim era o caminho a seguir e me agarrei a essa sensação. Ainda bem. Hoje sou empresário e ganho duas vezes mais que no emprego! 

Apesar de ter uma certeza espiritual de que deveria empreender, não sabia por onde começar. Achava que deveria vender alguma coisa, porque já tinha experiência vendendo produtos de limpeza de porta em porta. Além disso, meu sonho é fazer faculdade de contabilidade e aprender a gerenciar meu próprio negócio. Passei um mês pensando no que fazer e nenhuma ideia me arrebatava. As possibilidades eram muitas, mas nenhuma parecia ser mais promissora que a outra. Enquanto isso, as contas acumulavam e minha preocupação aumentava. 

Foi Deus quem me falou para vender. Só obedeci 

Foi nesse ponto que Deus entrou na minha história de novo. Um dia, eu estava na igreja quando um homem, que eu só conhecia de vista, chegou pra mim: “Filho, Deus está pedindo para eu falar que é para você vender salada de frutas!”. Olhei pra ele desorientado. Como ele sabia que eu pensava em vender alguma coisa? Pego de surpresa, apenas agradeci e disse que ia obedecer. 

No caminho para casa, não parava de pensar naquilo. “Mas salada de frutas? Como e onde vou vender isso?” Eu nunca tinha feito uma salada de frutas antes. Só comido. Mas, se Ele tinha falado, então estava dito. Falei sobre isso pra minha mãe e mais uma coincidência: uma mulher da igreja havia dito a mesma coisa pra ela! Encorajado pela minha fé, pedi ajuda ao Daniel, um amigo que trabalhava numa distribuidora. Falei pra ele do meu projeto e perguntei se poderia comprar embalagens fiado para pagar no dia seguinte. Comprei 50 potes por R$ 7. Depois, peguei R$ 30 com minha mãe e comprei as frutas. Como a maçã, a banana e a pêra ficam pretas muito rápido, peguei mamão, melão, abacaxi, manga e laranja. São frutas refrescantes que ainda têm um caldinho e estão à venda o ano todo.

Comecei com o básico e acrescentei as coberturas 

Naquela noite, deixei as frutas cortadas na geladeira em potes com tampa e acordei cedo para espremer as laranjas e fazer o caldo da salada. Peguei os 15 potinhos, coloquei num isopor com gelo, amarrei na bicicleta e fui para o centro. Vendi todos por R$ 2! Depois, comprei mais ingredientes. Como já tinha os potes, gastei menos. Fiz isso por seis meses. Conseguia ajudar nas contas da casa e economizei R$ 800, que usei para dar entrada num freezer e num computador. 

Era hora de expandir. Eu já vendia salada de frutas em lanchonetes e lojas do centro, porque o comércio é o melhor cliente. As pessoas já me recomendavam, o que fez meu número de pedidos crescer. Aí, incrementei os potinhos. Passei a oferecer coberturas de kiwi, morango, uva, mel, leite condensado, farinha láctea, leite em pó e granola. Cobro R$ 2,50 nos potes de 200 ml e R$ 3 nos de 250 ml. A que mais sai até hoje é a de leite condensado. Também passei a vender potes de 1 kg por R$ 12. 

Pago as contas, tenho moto e junto dinheiro! 

Como já estava conhecido, comecei a oferecer meu telefone para os clientes. Disse que aceitava encomendas e fazia entregas. Assim nasceu meu delivery. Meu slogan é “Viva saudável evitando gorduras. Coma salada de frutas”. As pessoas gostam. De lá pra cá, conquistei clientes fixos, como uma lanchonete que compra 20 potes de 200 ml por semana e um comerciante que compra 12 de 1 kg. Estou na boca do povo! Além disso, toda semana vendo ao menos 60 potinhos nas ruas a R$ 2,50. Lucro cerca de R$ 2 mil por mês, o dobro do que ganhava como repositor! 

Para agilizar as entregas, comprei uma moto. Agora eu posso! Tenho mais qualidade de vida que no passado. Antes, trabalhava todo fim de semana, mesmo doente. Hoje, se acordo ruim, fico até mais tarde na cama. Estava abaixo do peso e me alimentava mal. Agora sou pura saúde! Agradeço a Deus pela oportunidade, mas não parei por aqui. Estou juntando dinheiro para alugar um ponto e vender saladas de fruta, sorvete e açaí. Também quero estudar. Com a graça do Senhor, alcançarei tudo isso e muito mais! - SIMÃO PEDRO OLIVEIRA, 23 anos, vendedor, Souza, PB

“Minhas dicas para montar os potes e vender muito!”

✓ Faça o suco de laranja no dia da venda. Se fizer de véspera, ele fica passado e pode estragar o sabor da salada. 

✓ Evite frutas que escurecem, como maçã, banana e pera. Se quiser usá-las, mergulhe-as em água com limão após cortar. 

✓ Prefira frutas que soltem suco: abacaxi, melão e melancia. Elas formam um caldo próprio. 

✓ Cubra as frutas com filme plástico antes de tampar o pote. 

✓ Congelar as frutas tira o frescor. Guarde-as na geladeira. 

✓ Evite misturar frutas muito duras e azedas com as mais moles e doces. Prefira as que estão disponíveis o ano todo. 

✓ Acrescente coberturas para dar um toque especial às saladas e atrair mais clientes. Elas cobrem qualquer sabor azedinho.



10/11/2015 - 09:40

Conecte-se

Revista Sou mais Eu