Aprenda a receita: "Ganho até R$ 4 mil com balas de coco recheadas"

Roberto combinou a receita matadora de sua avó com seus recheios caseiros de doce de leite, limão, chocolate etc. Agora, ele ganha muito mais do que no seu antigo emprego!

Reportagem: Christiane Oliveira

Balas de coco recheadas | <i>Crédito: Arquivo Pessoal
Balas de coco recheadas | Crédito: Arquivo Pessoal
Eu era daquelas crianças que vivem na barra da saia da avó. Vivia na cozinha da dona Beca! Ela fazia bala de coco para vender e, até hoje, as dela são as melhores que já provei! Eram macias e derretiam na boca. Tanto que vinha gente de longe só para comprar as balas dela. Uma vez, moleque de tudo, pedi pra ela me ensinar a fazer. “Meu filho, a receita é fácil. Mas, para aprender, você tem que prestar bem atenção no que a vó faz!”, ela disse. A partir daí, passei a observar tudo que ela fazia nos mínimos detalhes. Quando fiz minhas primeiras balas, aos 15 anos, ela ficou orgulhosa e me senti muito feliz. Infelizmente, a dona Beca se foi. Ela deixou muita saudade e essa grande herança culinária. É graças a ela que, hoje, tenho trabalho. 

Fazia por prazer. Do nada, apareceram 30 pedidos! 

Sempre adorei fazer balas e sentia que aquela era uma coisa entre mim e a vó. Mesmo assim, nunca pensei em vendê-las. Trabalhei em bancos. Só que 2010 foi um ano de crise na agência onde trabalhava e fui demitido. Após oito anos no mesmo lugar, foi um baque. Três dias depois da demissão, acessei a página no Facebook que havia criado anos antes para as balas da dona Beca. Sempre tinha alguém que me pedia pra fazer e eu fazia por prazer. Mas o que vi ali me surpreendeu. 

Quando abri a fanpage, vi que tinha mais de 400 likes e 30 mensagens privadas, todas sobre encomendas. Caramba! É que a bala da dona Neca é realmente gostosa. Não é dura. É delicada e suave, fácil de comer. Foi aí que a ideia me veio: “Por que não transformar isso num negócio?”. Afinal, sabia a receita de trás pra frente. 

Decidido, criei um site e voltei a atualizar a página do Facebook. Também fiz mil cartões para distribuir. Quem já conhecia as balas se alegrou. A primeira encomenda veio rápido. Uma amiga da minha irmã daria uma festa e queria 1 kg de bala de coco. Gastei R$ 5 e cobrei R$ 20. A notícia se espalhou e passei a receber vários pedidos. No primeiro mês, lucrei R$ 400! 


A receita é tão boa que nem faço propaganda! 

Minhas balas fizeram tanto sucesso que o boca a boca se encarregou de me trazer novos clientes. É sério: nunca vendi na rua. Santa dona Beca! Naquele ano, uma freguesa pediu balas com recheio de chocolate. Nunca tinha feito, mas aceitei o desafio. Como tinha prática, sabia que precisava alterar o ponto. Como a massa endurece rápido, só teria tempo para recheá-la se fizesse um ponto mais mole. Deu certo e a mulher adorou! 

As novas balas recheadas passaram a fazer ainda mais sucesso. Com opções, as pessoas compram mais e mais vezes. Depois de criar o recheio de chocolate, testei o de abacaxi, beijinho, limão, nozes, doce de leite, maracujá, uva e muitos outros. O pessoal fica maluco! Além disso, passei a preparar uma bala de coco gelada, que leva coco ralado fresco e não apenas leite de coco, como a tradicional. Mesmo fria, também derrete na boca. 

O segredo é puxar a bala direito. Dá um trabalho... 

A bala que mais vende é a com recheio de brigadeiro. Hoje, tenho uma agenda grande de clientes e encomendas frequentes. Pego muita festa infantil e casamento e, como não congelo as balas para que elas fiquem frescas, minha cozinha é sempre movimentada. Uma vez, uma pessoa do Rio de Janeiro pediu 45 kg e levei três dias para dar conta. Se somar o quanto dormi nesses dias não dá nem dez horas. É osso. 

Quem quer se meter a fazer bala de coco tem que saber que a parte mais difícil é puxar a massa. A gente pega ela morna, estica, fecha, dobra, estica... Faz isso até ficar sedosa. É um trabalho braçal pesado e ainda pode queimar a mão. Mas, quando passo o dia trabalhando, durmo como um bebê. 

Ganho mais do que no antigo emprego. Oba! 

Para não perder pedidos, tenho planilhas e sou organizado. Faço algumas entregas de carro e outras pelos Correios. Minha esposa, Fernanda, me ajuda em tudo. E todo o nosso esforço vale a pena. Lucro em média R$ 3 mil por mês. Mas, no inverno, já cheguei a lucrar R$ 4 mil! É mais do que ganhava quando trabalhava no banco! Não voltaria para lá nunca. Sou feliz fazendo as balas e me sinto próximo da minha vó. Seja lá onde ela estiver, acho que está contente em ver que continuei a tradição e ainda me dei bem com isso. Como os pedidos não param de chegar, quero comprar uma máquina que estica a bala e facilita meu trabalho. Quem sabe um dia um dos meus três meninos vai se interessar por essa arte. Sabendo fazer bem uma comida, ninguém se aperta nessa vida. - ROBERTO JUNIOR, 42 anos, microempresário, Sorocaba, SP



Faça uma bala que derrete na boca!

■ O ponto certo
O segredo de uma bala macia é o ponto certo. O ideal é que, ao esticar a massa, você obtenha uma textura sedosa.

■ Temperatura ideal
Trabalhe a massa sobre uma pedra em temperatura ambiente, de preferência sobre mármore, que não retém calor. 

■ Mão sequinha
Cuidado para não ficar com mão suada. Se isso acontecer, a bala não ficará tão macia.

■ Corte agilizado
Antes de cortar a massa com a tesoura (que deve estar em temperatura ambiente), passe manteiga na parte metálica e no fio. Assim, a bala não gruda. 

■ A melhor hora
Quanto mais quente o dia, mais chances você têm de a bala ficar açucarada. Prefira preparar a massa por volta das 6 horas da manhã, um horário bem fresquinho. O processo todo deve durar cerca de 40 minutos.


A receita da dona Beca 

Ingredientes
• 1 kg de açúcar refinado
• 200 ml de leite de coco
• 200 ml de água 

Modo de preparo
Misture tudo numa panela grande e leve ao fogo brando. Não mexa. Quando ferver, aumente a chama e deixe a calda engrossar por até 30 minutos ainda sem mexer. Retire uma colherada e despeje numa xícara com água. Se endurecer, está no ponto. Caso esteja mole, ferva mais e repita o teste. Coloque a massa numa bancada de mármore ou granito untada e deixe esfriar até conseguir manuseá-la. Estique e dobre-a até ela ficar branquinha. Faça rolinhos e corte balas de 2 cm com uma tesoura o mais rápido que puder. Deixe secar.


02/09/2015 - 09:15

Conecte-se

Revista Sou mais Eu