Uso de vitamina C não previne gripes e resfriados

Não há evidências científicas de que consumir cápsulas efervescentes para reposição do nutriente em épocas de baixas temperaturas tenha efeito para a saúde

Renato Bianchi

Estudos indicam que benefícios da vitamina contra infecções é um mito | <i>Crédito: Shutterstock
Estudos indicam que benefícios da vitamina contra infecções é um mito | Crédito: Shutterstock

Com a queda da temperatura nos estados das regiões Sul e Sudeste do Brasil, é comum que a população seja acometida por gripes e resfriados. E aí elas fazem uso diário de cápsulas efervescentes de vitamina C, que são vendidas indiscriminadamente em farmácias sem necessidade de prescrição médica. Mas, de acordo com a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), não há evidência científica que comprove que elas previnam o surgimento de infecções como gripe (incluindo o H1N1) e resfriados.

“Nos anos 70, passou a ser amplamente divulgado que a vitamina C poderia prevenir e até tratar resfriados, mas isso vem sendo questionado e mais estudado recentemente. Vários estudos comparativos apontam que o efeito preventivo ou curativo dessa vitamina é apenas um mito”, explica Rodrigo Lima, diretor de comunicação da SBMFC. Segundo ele, alguns dados indicam que o uso da vitamina C no início do resfriado pode ser considerado útil, mas são necessários mais estudos para que isso seja comprovado.

12/05/2016 - 16:39

Conecte-se

Revista Sou mais Eu