Tenho Down e ensino natação

Comecei como estagiário do curso de Educação Física e hoje sou personal trainer. A síndrome nunca me impediu de estudar e trabalhar

Reportagem: Natália Dantas (com colaboração de Carolina Almeida)

Comecei como estagiário do curso de Educação Física e hoje sou personal trainer. A síndrome nunca me impediu de estudar e trabalhar | <i>Crédito: Redação Sou Mais Eu
Comecei como estagiário do curso de Educação Física e hoje sou personal trainer. A síndrome nunca me impediu de estudar e trabalhar | Crédito: Redação Sou Mais Eu

Tenho 37 anos, e sou formado em Educação Física. Dou aulas de natação de segunda a sexta em um clube. Tenho muitos alunos, incluindo criancinhas que ainda não sabem nadar e grudam em mim!

Até aí, tudo bem. O que torna minha história diferente é que tenho síndrome de Down. Tem gente que vê a síndrome como doença, o que é errado: o portador dela apenas precisa de mais estímulos que as outras pessoas. Não é por causa disso que deixamos de ser humanos ou normais.

No clube, comecei como estagiário, e agora todo mundo me conhece como professor Beto. Comecei ajudando duas professoras de natação para iniciantes. Tive até um aluno com Down. Ele tinha certa dificuldade para nadar, mas sempre dei apoio a ele!

Já fui discriminado, mas hoje me respeitam

Nunca sofri preconceito na faculdade ou no estágio. Acho que muitas vezes as pessoas são preconceituosas por não saberem o que é a síndrome. Quando eu trabalhava no Ministério do Trabalho, me sentia discriminado. A situação me angustiava. Até que me demitiram...

Hoje, estou decidido a me dedicar totalmente à Educação Física. É o que eu gosto de fazer! Quero me especializar mais e continuar atuando como professor ou personal trainer.

Meus dias são bem cheios: dou aulas no clube a tarde e à noite. No fim de semana, aproveito para namorar a Rafaela. Estamos juntos há nove anos. Quero ser uma ótima pessoa para ela, respeitando-a e a tratando como ela merece.

Humberto Suassuna, 37 anos, professor, Recife, PE

Da redação

Síndrome de Down não é uma doença

A síndrome de Down acontece por um problema na formação de um cromossomo, um dos trechos do nosso DNA. É uma das ocorrências genéticas mais comuns e acontece com todas as raças. Ela causa dificuldades de desenvolvimento físico, facial e das habilidades de compreensão, o que torna a aprendizagem mais devagar. Por isso, o portador requer mais estímulos nas atividade. A síndrome não é uma doença. Portanto, os portadores dela não são pessoas doentes.

 

31/07/2017 - 13:29

Conecte-se

Revista Sou mais Eu