"Perdi 46 kg com o chá de porangaba!"

A bebida reduz o apetite e combate a retenção de líquido. Graças a ela e à sua garra, Raquel superou uma traição, o divórcio e a obesidade, e renasceu como mulher!

Reportagem: Célia Aguiar

RAQUEL COUTINHO | <i>Crédito: Arquivo Pessoal/Alex Silva
RAQUEL COUTINHO | Crédito: Arquivo Pessoal/Alex Silva
Eu estava prestes a perder o dente da frente por causa de uma cárie não cuidada. Tudo porque eu simplesmente não ligava para minha aparência. Ficar obesa me fez esquecer o significado da palavra vaidade. Virei um relaxo. Nunca mais fiz a unha, me vestia de qualquer jeito e cabelo era só preso. Usava qualquer roupa no tamanho 56: feia, velha, não fazia diferença pra mim. Além disso, eu aparentava ter muito mais idade do que os 26 anos da época, 2011. Era muito triste me olhar no espelho e não gostar de quem eu tinha me tornado. Só que perder o amor-próprio desse jeito me trouxe outros prejuízos além dos físicos... 

Depois de ser traída, resolvi me resgatar

Tamanha falta de autoestima interferiu no meu temperamento. Eu vivia nervosa, de mal com a vida, o que acabou abalando meu casamento. Apesar de meu ex-marido nunca ter reclamado do meu peso, eu me incomodava e não aceitava o fato de meu lado da cama ser mais fundo do que o dele, por exemplo. Dormia chorando por causa disso. Como eu podia ter uma relação feliz sem estar feliz comigo mesma?

Minha situação só piorou quando descobri que o Jorge* estava tendo um caso com outra mulher, no final de 2011. Foi a gota d’água para o divórcio. Sofri muito, mas sabe que hoje vejo que existiu um porquê para tudo que passei? Não sei até quando eu continuaria engordando – e me odiando – se não fosse esse baque. Superar a traição, o divórcio, a obesidade e renascer como mulher virou a meta da minha nova vida! 

Meus problemas com o sobrepeso começaram depois da minha primeira gravidez, quando eu tinha 18 anos. Meu corpo esticou demais, minha barriga ficou deformada e apelei para os remédios. Sequei 12 kg em 12 dias. Só que, seis meses depois de parar com as cápsulas, eu estava maior ainda. 

Eu, que na adolescência sempre chamei atenção no bairro por causa do meu corpão, comecei a sentir vergonha de sair de casa. Aí a coisa degringolou de vez: trancafiada, comia muito mais! Gordura, massa, carne de porco, pratadas enormes de arroz e, meu maior vício, refrigerante de cola. Já começava tomando no café da manhã. No almoço, matava 2 litros. No jantar, mais 2. E ainda tinha a pachorra de acordar na madrugada para virar outro copão! 

Não foi por menos que, aos 25 anos, atingi os 115 kg. Convivi, extremante infeliz, com esse corpo enorme durante dois anos. Até que, em janeiro de 2012, depois do divórcio, finalmente caí na real e percebi que só dependia de mim virar o jogo. 

Comecei minha mudança pulando corda em casa

Foi com uma iniciativa simples que minha transformação começou. Com toda a turbulência da separação, passei a ter dificuldade de pegar no sono. Então, tive a ideia de pular corda para me cansar bastante e capotar na cama à noite. Já aproveitaria para queimar calorias! Pulava 20 minutos por dia, que era o que eu aguentava, e suava em bicas. Era ótimo! 

Também mudei minha alimentação: cortei massa e arroz, carnes gordurosas, óleo, açúcar e passei a controlar o sal. Ah, e não passava nem perto da praga do refrigerante! 

Tinha semana que eu chegava a perder 5 kg!

E foi conversando com uma conhecida sobre emagrecimento que fiquei sabendo do chá de porangaba. Passei a tomar um copo de 250 ml de manhã, em jejum, e repetia à noite. Fiz isso nos primeiros quatro meses de dieta. E deu muito certo! A bebida é um excelente diurético e me ajudou a desinchar, além de controlar meu apetite. Era animador ver o resultado. Tinha semana que eu chegava a perder 5 kg! 

Foi bem rápido: sequei 46 kg em apenas oito meses! Acharam até que eu estava doente, mas eu estava mesmo era focada! Emagreci sem remédio, sem cirurgia, com saúde e com um sorrisão no rosto: fiz um tratamento e restaurei aquele dente que quase perdi. Ficou perfeito! Agora, toda semana faço minhas unhas, a progressiva está sempre em dia e vivo renovando o guarda-roupa. Tenho prazer em me ver no espelho tão bem-cuidada! 

Ah, e depois que emagreci, passei a curtir a solteirice. Fiquei com homens tão bonitos que quase nem acreditei! Dia desses, meu filho me disse que eu estava muito linda e que agora cabia dentro do seu abraço. Impossível não ficar emocionada e não se sentir grata pela minha nova vida! - RAQUEL COUTINHO, 30 anos, vendedora, São Paulo, SP

O cardápio da Raquel

Desjejum
• 250 ml de chá de porangaba 

Café da manhã
• 3 unidades de torrada multigrãos ou biscoito água e sal 
• 200 ml de iogurte natural desnatado 
• 1 colher (sopa) de mix de granola com semente de linhaça dourada 

Dica da nutricionista: Substitua as torradas por 1 fatia de pão integral. Dê preferência ao iogurte sem lactose. Acrescente 1 fatia de melão. 

30 minutos antes do almoço 
Dica da nutricionista: 250 ml de chá de porangaba 

Almoço
• Salada (cenoura, beterraba, abobrinha, brócolis e berinjela)
• 2 colheres (sopa) rasas de arroz comum
• 1 colher (sopa) de feijão
• 1 filé (médio) de frango ou bife 


Dica da nutricionista: Troque o arroz comum pelo integral.

Lanche da tarde
• 3 unidades de biscoito de aveia e mel OU 1 barrinha de cereal diet 

Dica da nutricionista: Substitua por 2 castanhas-do-pará + 1 banana-prata com canela. 

Jantar
• 2 frutas
• 200 ml de iogurte natural desnatado
• 1 colher (sopa) de mix de granola com semente de linhaça dourada 

Dica da nutricionista: Troque as frutas por 1 prato (fundo) de legumes picados (vagem, cenoura, chuchu e aipo). Substitua o mix por uma colher (sobremesa) de chia. 

Ceia
• 250 ml de chá de porangaba 

Dica da nutricionista: Consuma este segundo copo antes do almoço. Para a ceia, opte por 1 maçã.

Chá de porangaba é diurético e reduz o apetite!

A Raquel, nossa linda da capa, encontrou no chá de porangaba o aliado de que precisava para emagrecer. “A bebida pode, sim, ser usada como coadjuvante para a perda de peso quando combinada à alimentação regrada e à atividade física”, afirma Gisele Carvalho, nutricionista da clínica MedPrimus. Veja como o chá atua em nosso organismo:

■ É diurético: ajuda a eliminar o excesso de líquido. Com uma baixa ingestão de sódio, auxilia a combater o inchaço.

■ Sua ação emagrecedora está, principalmente, em sua capacidade de moderar o apetite. É o efeito antigula. 

■ Além disso, a porangaba possui cafeína e estimula a circulação sanguínea, o que também favorece a eliminação de líquido.

Onde encontrar
As folhas secas podem ser compradas em casas de ervas e produtos naturais. Também existem as versões em sachê e em cápsula, que trazem os mesmos benefícios. “Em cápsula, o mais comum é que seja encontrada com o nome de pholiamagra”, orienta a nutricionista. 

No preparo da infusão
A especialista recomenda utilizar a proporção de 2 colheres (sopa) da erva para 1 litro de água. “Quando a água alcançar fervura, desligue, tampe e deixe a solução abafada por cerca de dez minutos. Em seguida, é só coar e beber”, ensina Gisele. 

Não adoce
Chás usados para perder peso ou com efeito diurético devem ser consumidos sempre sem açúcar nem adoçantes.


INDICAÇÃO DE CONSUMO: duas a três xícaras por dia, no máximo. “O uso abusivo do chá pode desencadear perda de sódio e potássio e até provocar dor de estômago. Também pode afetar o sistema nervoso central e produzir efeitos colaterais, como insônia e irritabilidade”, alerta a nutricionista. 

TODO MUNDO PODE? Não. O chá não deve ser consumido por pessoas com hipertensão arterial, cardiopatias, ansiedade e por gestantes. 

ATENÇÃO! Chás não substituem a água pura. É muito importante ingerir ao menos oito copos de água por dia.




20/08/2015 - 09:00

Conecte-se

Revista Sou mais Eu