"Perdi 35 kg com um pó feito em casa!"

A receita termogênica deu energia para Juliana seguir o programa de exercícios HIIT, que queima calorias de montão!

Reportagem: Daniel Lopes

Juliana Oliveira Correa | <i>Crédito: Arquivo Pessoal
Juliana Oliveira Correa | Crédito: Arquivo Pessoal
É curioso como, muitas vezes, a gente não consegue se enxergar e precisa que outra pessoa aponte nossos defeitos. No dia 8 de agosto de 2013, isso aconteceu comigo. Estava no ônibus com meu ex quando ele me chamou de boneco da Michelin, aquela marca de pneus, para zoar minhas dobras de gordura. Na hora, fingi achar graça, mas depois tirei uma selfie no celular para me olhar melhor. Vi uma mulher gorda, envelhecida, cansada e com uma papada enorme. Até aquele momento, não tinha me dado conta da situação. Odiei admitir, mas o babaca do meu ex tinha razão. Eu precisava mudar. 

Tive câncer e AVC, mas não larguei a batata frita 

Até esse momento, minha dieta era um desbunde. Meu café da manhã era uma garrafa de 2 litros de refrigerante, o lanchinho eram uns pães com frios e o jantar tinha sempre muito frango frito e pizza. Nos intervalos, sempre tinha espaço para o sorvete e a batata frita. Fumava dois maços de cigarro por dia e passava longe de qualquer exercício. Assim, passei dos 68 kg aos 20 anos para mais de 90 kg aos 26!

Em 2008, descobri um câncer de colo de útero em estágio inicial. Só que, como ele sumiu após apenas duas sessões de radioterapia, não me apavorei. Continuei comendo e fumando. No ano seguinte, senti uma pontada forte na cabeça e caí no chão do banheiro. Era um AVC. Passei três dias internada, mas nem isso bastou para mudar meus hábitos. Em 2010, me separei e me senti tão só que me entreguei mais ainda à vida de exageros, o que me levou aos 95 kg. 

Nessa época, estava sem marido, deprimida e usando manequim 48. Que fase... Me afundei aos poucos ao longo de dois anos, até não querer sair de casa. Mas, quando decidi mudar, o universo me ajudou. Um dia depois de ouvir que eu parecia o boneco da Michelin, uma colega do serviço voltou das férias magérrima e contou que havia feito a dieta Dukan, aquela em que a gente não pode comer pão nem massas. Comprei um livro sobre o tema e iniciei a Operação Magra. O primeiro passo: terminar o namoro com o engraçadinho que me botava pra baixo. Rá! Depois, passei dez meses sem açúcar e carboidrato. Perdi 13 kg, mas me sentia fraca. 

Para ter mais energia, resolvi adaptar a dieta. Adicionei frutas e farinhas integrais no cardápio. Passei a caminhar duas vezes na semana e a seguir perfis de vida fitness no Instagram. Foi assim que descobri o treino HIIT, uma sigla em inglês que significa Treinamento Intervalado de Alta Intensidade. Era uma malhação de 12 minutos que poderia ser feito em casa, ideal pra mim, que ainda estava meio deprê e não me sentia confortável na academia, essa era a malhação ideal! Além dos exercícios, havia um pozinho natural que acelerava o metabolismo e podia ser tomado junto. Era uma promessa tão boa que resolvi tentar. 


Passei 21 dias sem nada industrializado 

O programa HIIT começava com uma fase de desintoxicação de 21 dias. Nesse período, eu só podia comer alimentos naturais. Não podia ter nada industrializado! A ideia é facilitar a digestão e melhorar o funcionamento do organismo. Na parte da malhação, tomei um susto. Eram 12 séries de exercícios aeróbicos puxados que, apesar de rápidos, me deixavam esgotada. Eu terminava toda suada, com a sensação de ter corrido uma hora, mas tinha gastado só 12 minutos! 

Além disso, eu tomava o pozinho duas vezes ao dia para acelerar meu metabolismo e ter mais energia. Trata-se de uma mistura de várias substâncias termogênicas que me ajudavam a queimar calorias. Como a gente não acha o pó para vender em lojas, fui a uma venda de ervas e produtos naturais e comprei 100 g de cada ingrediente. Misturei tudo e pronto. O gosto não era bom, mas me dava pique e me fazia queimar mais no treino! Foi uma mudança brusca e dura de hábitos, ainda mais porque parei de fumar junto com a dieta. Tinha sempre uma foto minha gorda por perto para olhar quando ficava desanimada. Fiz isso várias vezes ao longo dos 18 meses que levei para terminar de emagrecer, mas valeu a pena: perdi mais 22 kg e cheguei aos 60 kg! No total, foram 35 kg a menos!

Agora uso roupa justa e arrumei um novo amor! 

Vendo a transformação do meu corpo, minha autoestima se reergueu. Voltei a me arrumar e sempre sorria na frente do espelho. Conheci o Valdir, meu atual marido, um cara bacana que nunca fez piadinha sobre mim. Cada ossinho que apareceu no meu corpo e cada roupa que ajustei me fez sentir mais confiante. Meu sonho era entrar num manequim 40 e hoje visto até menos! Compartilhei cada etapa da minha dieta no Instagram e inspirei várias pessoas, o que me dá orgulho. Agora, quero definir mais meus músculos, perder mais gordura e virar fisiculturista. Já estou treinando pesado e fico na academia todos os dias há uma hora quase um ano. Ai de quem vier me chamar de bonecão do posto! - JULIANA OLIVEIRA CORREA, 35 anos, pedagoga, São Paulo, SP

O cardápio da Juliana - Avaliado pela nutricionista esportiva Lilian Litz

Café da manhã
• 1 fruta pequena
• Fruta pequena (banana-prata, kiwi ou maçã)
• Iogurte desnatado sem lactose 

Dica da nutricionista: O iogurte pode ser comum. 

Almoço
• 70 g de carboidratos (arroz integral, batata-doce ou mandioca)
• 120 g de proteína (frango, peixe ou carne)
• 100 g de legumes (rúcula, agrião, brócolis, couve-flor ou espinafre) 

Dica da nutricionista: Inclua uma salada de folhas variadas à vontade no lugar dos legumes. 

Lanche da tarde 1
• 5 claras de ovos cozidos 

Dica da nutricionista: Acrescente um carboidrato, como uma fatia de pão integral. 

Lanche da tarde 2
• 100 g de proteína
• 100 g de legumes 

Dica da nutricionista: Nem sempre você precisa de tanta proteína. Se não tiver fome, reduza. 

Jantar
• 70 g de carboidratos
• 2 claras (omelete, mexidas) • 100 g de brócolis

Dica da nutricionista: Prefira carboidratos integrais, acrescente uma gema na omelete e reduza a quantidade de brócolis. 

Como consumir o pó: Tomar uma colher de sobremesa cheia pela manhã e outra às 16 h. Não dilua a mistura em água ou leite, para potencializar os efeitos termogênicos.

Conheça os 8 ingredientes do pó que acelera o metabolismo!

Trata-se de uma mistura de ingredientes que “aumenta a temperatura corporal e colabora para a perda de peso”, explica a nutricionista Lilian Litz. Veja quais são eles:

AÇAFRÃO: anti-inflamatório e antioxidante, combate o envelhecimento e as doenças cardíacas. 

CACAU: sem açúcar e pouco gorduroso, controla o colesterol ruim, a pressão arterial e a ansiedade.

MACA PERUANA: rica em fibras, dá saciedade e diminui o apetite, e ajuda a regular o intestino.

GENGIBRE: antioxidante e anti-inflamatório, combate a celulite e reduz as dores musculares. 

CANELA: combate o colesterol ruim, regula o açúcar no sangue e esquenta o organismo. 

GUARANÁ: controla o colesterol e o açúcar no sangue. Melhora a concentração e raciocínio. 

CATUABA: combate a fadiga, a depressão, o esgotamento mental e a falta de memória. 

GINSENG: controla a pressão, diminui o cansaço e o estresse e melhora a circulação sanguínea.







30/10/2015 - 09:00

Conecte-se

Revista Sou mais Eu