Em apenas um ano: "Perdi 50 kg com chá-mate com gengibre!"

Além de diurética, a bebida acelera a queima de gordura e o emagrecimento

Reportagem: Christiane Oliveira

THAYANE CHRISTY DA SILVA SOUZA | <i>Crédito: Arquivo Pessoal
THAYANE CHRISTY DA SILVA SOUZA | Crédito: Arquivo Pessoal
Sabe quando você passa em frente a uma loja e se apaixona por AQUELA roupa? No meu caso, foi uma blusinha de lycra estampada que vi no manequim. Entrei e, como estava pesando mais de 100 kg, procurei uma atendente para saber se tinha aquela peça no tamanho que eu usava: 52. Me aproximei de uma moça, apontei para a blusa e, antes que eu terminasse a pergunta, ela já se adiantou: “Nessa loja não tem nada que te sirva. Só trabalhamos com tamanho único!” Comecei a chorar e tive de sair correndo dali. Nunca fui tão humilhada em toda minha vida. Minha vontade era de voltar e acabar com aquela vendedora. Mal sabia que, um ano depois, eu ficaria grata pelo empurrão que ela me deu para meu emagrecimento definitivo! 

A depressão pós-parto me fez engordar nada menos que 42 kg! 

Nunca tive problemas com meu peso. Não era gorda nem magra e estava satisfeita com meu corpo. Quando engravidei da minha filha, em 2008, me cuidei para não engordar muito, pois já tinha visto histórias de mulheres que ganharam 40 kg durante a gravidez e nunca mais conseguiram perder. Deus me livre! Meu esforço deu certo: não engordei nem 10 kg durante a gestação. Que alívio! 

Depois que saí do hospital e voltei para casa com minha bebê e meu marido na época, estava me sentindo completa com minha família. Só que os dias foram passando e comecei a ficar estranha. Fui tomada por uma tristeza imensa e comecei a perder prazer nas atividades diárias, como passear com minha filha, me arrumar... Passei a me isolar num quarto escuro e não tinha vontade de conversar com ninguém. Só duas coisas me davam prazer de verdade: comer e dormir. 

Eu passava o dia inteiro dentro de casa devorando tudo o que via pela frente. Não sossegava até esvaziar o armário da cozinha e a geladeira. Era salgado, bolacha, refrigerante, chocolate... Essa rotina perdurou por um ano e meio, quando atingi inacreditáveis 112 kg! Fiquei imensa. Não conseguia nem andar até a esquina que já me dava falta de ar. Sem contar que eu continuava triste, angustiada e sem vontade de fazer nada. 

Desconfiei que estava com depressão pós-parto, mas não tinha forças para reagir. Até que, um ano e meio depois, acordei e, cansada de viver daquele jeito, decidi procurar uma psicóloga. Afinal, eu só tinha 22 anos e uma filha para criar. Eu não podia acabar daquele jeito! Comecei as sessões e logo fui diagnosticada com depressão pós-parto, como eu suspeitava. Depois de sete meses de tratamento, eu já estava quase cem por cento recuperada. Mas meu peso ainda me assombrava... Nessa época, eu achava que, para emagrecer, era preciso ficar sem comer. Por isso, fazia umas dietas malucas e ficava até dois dias em jejum, achando que perderia peso. Mas acabava passando mal e quase desmaiava. Aí voltava a comer tudo de novo. Só que, em 2014, depois de sair arrasada daquela loja e querendo esganar a vendedora, tomei uma decisão: eu ia emagrecer pra valer! 

Pesquisei algumas dietas na internet e achei que a reeducação alimentar seria a melhor opção pra mim, já que não me privaria de nada, só diminuiria as quantidades e substituiria alguns alimentos. Comecei cortando doces, refrigerante, frituras e gorduras. Também passei a comer de três em três horas e a beber bastante água ao longo do dia. 

Resultado: depois de um mês, a balança já estava marcando 12 kg a menos. Uau! Aí, comecei a fazer caminhadas. A primeira semana foi bem difícil, achava que ia morrer de tanta falta de ar. Mas, com o passar do tempo, fui melhorando e até comecei a trotar. 

Além de todas essas mudanças, também contei com a ajuda de um poderoso aliado na dieta: o chá-mate com gengibre. Descobri essa bebida procurando termogênicos para acelerar meu metabolismo. Meu objetivo era perder peso mais rapidamente. Funcionou: graças à bebida, meu emagrecimento deslanchou! Depois de um ano, vi o ponteiro da balança apontar incríveis 62 kg! 

Meu desejo de emagrecer era maior do que comer um doce 

Perder 50 kg foi uma vitória e tanto pra mim. Nunca achei que fosse capaz de tudo que fiz para alcançar essa conquista. É claro que, durante esse tempo, passei algumas vontades, mas meu desejo de emagrecer era muito maior do que a frustração de resistir a um docinho ou um biscoito recheado. 

Hoje continuo com a reeducação alimentar e frequento todos os dias a academia Garra, aqui na minha cidade, onde faço exercícios aeróbicos e musculação, que me ajudam a manter o peso que conquistei graças à minha determinação. 

Hoje sou grata àquela vendedora que me humilhou, pois talvez eu ainda estivesse na mesma situação se não fossem as palavras dela. Meu emagrecimento veio pela dor e não pelo amor, como costumam dizer. Mas o importante é que estou feliz com meu corpão! - THAYANE CHRISTY DA SILVA SOUZA, 23 anos, dona de casa, Juiz de Fora, MG

O cardápio de Thayane - Avaliado pela nutricionista Luana Stoduto

Café da manhã
• 200 ml de vitamina feita com mamão, maçã e linhaça, 1 iogurte desnatado (o iogurte pode ser substituído por 1 gelatina zero) 

Lanche da manhã
• 1 taça de gelatina zero
• 500 ml de chá-mate com gengibre 

Dica da nutricionista: Retire a gelatina e acrescente uma porção de oleaginosas, como castanhas e nozes. 

Almoço
• 2 colheres (sopa) de arroz integral
• 150 g de frango grelhado ou 1 omelete com 2 ovos e 1 gema
• Salada (mix de folhas) à vontade 

Lanche da tarde
• 1 fruta (maçã, pera, ameixa) ou 100 g de melão ou melancia

Jantar
• 1 prato (sopa) fundo de sopa de legumes feita com repolho, chuchu, abóbora, cenoura e peito de frango

Chá-mate com gengibre eleva a temperatura corporal e combate o inchaço

A bebida que ajudou a Thayane a ficar fininha é um potente termogênico, pois o chá-mate e o gengibre têm o poder de acelerar o metabolismo. É o que afirma a nutricionista Luana Stoduto. Segundo a especialista, “a cafeína presente na erva promove a quebra de gordura no organismo, favorecendo sua queima”, explica. Luana comenta sobre as propriedades da infusão:


Indicação de consumo

Deve-se ingerir, no máximo, 1 litro do chá por dia. Evite consumir após as 19 h para não atrapalhar o sono. Como o chá-mate tem um gosto um pouco amargo, você pode adicionar gotas de limão para melhorar o sabor e as propriedades emagrecedoras.

A receita do chá-mate com gengibre da Thayane

Ingredientes
✓ 1 litro de água
✓2 colheres (sopa) da erva do chá-mate
✓ 1 pedaço da grossura de um dedo de gengibre 

Modo de preparo
Coloque a água no fogo e, quando levantar fervura, desligue a chama. Junte a erva e o gengibre e deixe em infusão por 15 minutos. Coe e beba quente ou gelado.





28/03/2016 - 11:08

Conecte-se

Revista Sou mais Eu