Dieta: "Despachei 20 kg com o truque do suco de gelatina!"

Juliana usou a versão líquida do doce pra tirar a fome e matar a vontade de comer doce sem consumir calorias

Reportagem: Célia Aguiar

JULIANA CRISÓSTOMO DE ARRUDA RODRIGUES | <i>Crédito: Ivo Vicentim
JULIANA CRISÓSTOMO DE ARRUDA RODRIGUES | Crédito: Ivo Vicentim
Quem já teve depressão sabe como é difícil. A minha foi causada pela pressão e excesso de trabalho na época, 2012. Precisei tomar medicação, fazer terapia e fiquei afastada do serviço. Minha rotina depressiva dentro de casa era dormir e comer muito. Mesmo sem ter tido alta, depois de dois meses de afastamento precisei retornar às atividades como servidora pública e foi só aí que vi o tamanho do estrago. 

Em casa, usando roupas largas, não me dei conta do que eu estava fazendo com meu corpo. Foram as calças sociais, camisas e blazers que denunciaram os quase 10 kg a mais que ganhei em tão pouco tempo. Tudo me apertava, a ponto de me machucar. As roupas deixavam vergões na minha pele. Eu tinha que ir ao banheiro no meio do expediente para fazer compressas no local. Precisei cortar as mangas de todas as blusas na altura das axilas. Se eu já não estivesse tomando remédio para depressão, teria começado naquele momento. Minha autoestima foi para o chão. 

É engraçado, eu sabia e sentia que estava gorda, mas a gente precisa de um estalo pra tomar a decisão de emagrecer. O meu veio com uma foto. Todos os anos, em abril, eu e meu marido batemos uma fotografia nossa em uma rua que fica toda florida nessa época. Em 2013, seria nosso segundo ano. Só que, quando fui passar a imagem para o computador, minha reação foi bem diferente dos anos anteriores. Meu Deus, eu estava enorme! Fiquei em choque. Minha vontade era apagar aquela foto e mandar nossa tradição para o beleléu. Em vez disso, reverti toda aquela raiva em um único objetivo: ser magra! 

Meu IMC denunciou: eu tinha virado obesa 

Mesmo antes de entrar em depressão, eu já não era muito magrinha. Durante toda minha vida, a balança era um vai e vem porque nunca comi direito. E só piorou com a doença. Sair com meu esposo para comer era o único prazer do meu dia. Lanche, pizza, sorvete... Tudo em grandes quantidades! Deu no que deu. Os 83 kg que alcancei durante o afastamento do trabalho me enquadraram em um IMC (Índice de Massa Corpórea) que me classificava como obesa. Aquela fotografia só confirmou isso. 

Já no dia seguinte da foto, me matriculei na academia. Seis “Jurei pra mim mesma que nunca mais voltaria par a casa dos 80 kg” vezes por semana, acordava às 5h30 da manhã pra malhar. Comecei a perceber que os exercícios também aliviavam os sintomas da depressão. Eu estava no caminho certo... 

Sem o suco, poderia ter colocado tudo a perder 

Para me motivar, criei uma página no Facebook. Lá, posto fotos dos meus pratos, conheço pessoas e compartilho informações sobre dieta. O mais importante foi mudar a alimentação, começando por abolir lanches gordurosos. Pesquisava muito na internet sobre os alimentos. No almoço, comecei a comer mais salada e a trocar as massas por carnes magras e o arroz branco pelo integral. 

Passei a beber muito mais água e chás e a me alimentar a cada três horas. Mas ainda lutava arduamente contra a vontade de comer doce. E foi aí que minha melhor amiga deu a dica salvadora: suco de gelatina. Isso mesmo! É simples, mas super eficiente! Eu preparava a gelatina zero em pó tradicional, só que com o dobro da quantidade de água (1 litro) pra ela não endurecer. Como é docinho, esse suco me ajudava a não atacar guloseimas, o que colocaria tudo a perder. Além disso, me deixava saciada ao longo do dia. E sem consumir calorias! 

Logo no primeiro mês, vi a balança descer 4 kg. Foi um alívio sair do IMC de obesidade para o IMC de sobrepeso. Jurei pra mim mesma que nunca mais voltaria para a casa dos 80 kg! 

Meu marido até chorou quando viu as fotos 

Ao todo, foram dois anos e três meses para eliminar 20 kg, sem remédio nem cirurgia. Consegui secar o dobro do que engordei quando fiquei depressiva. Uhu! Ainda faço tratamento para depressão, mas agora me sinto mais forte e não deixo a doença me vencer. 

Durante todo esse processo, a Sou mais Eu! foi minha fiel companheira. Lia as histórias de emagrecimento, via amigas blogueiras sendo capa e sonhava um dia também estar na revista, magra e radiante! Por isso, a sessão de produção desta matéria foi tão especial pra mim. Fiquei mandando fotos do que estava vivendo para meu esposo acompanhar de longe. Ele até chorou! O André sabia da importância daquele momento pra mim. Foi uma das maiores conquistas da minha vida!- JULIANA CRISÓSTOMO DE ARRUDA RODRIGUES, 30 anos, servidora pública, Campo Grande, MS

O cardápio da Juliana - Avaliado pela nutricionista Roseli Ueno

Café da manhã (pré-treino)
• 1 tapioca feita com 2 colheres (sopa) da goma recheada com 50 g de frango desfiado e 1 colher de (chá) requeijão light
• 100 ml de café com açúcar 

Dica da nutricionista: Se não quiser comer frango desfiado logo cedo, pode substituir por queijo ou peito de peru. 

Lanche da manhã (pós-treino)
• Sanduíche feito com 2 fatias de pão integral, 1 colher (sobremesa) de ricota, 50 g de frango desfiado ou 2 fatias de presunto de peru, 2 folhas de alface e ½ tomate 

Dica da nutricionista: Como já comeu tapioca no café, não precisa do carboidrato no lanche da manhã. Acho demais. Opte por iogurte ou uma fruta. 

Almoço
• 2 colheres (sopa) de arroz integral
• 2 colheres (sopa) de feijão
• 1 filé (médio) de peito de frango grelhado
• Salada de folhas à vontade
• 2 colheres (sopa) de legumes (cenoura, berinjela, beterraba, vagem, pepino, abobrinha) 

Lanche da tarde
• 1 unidade de barra de cereal caseira feita com farinha de aveia, farinha de arroz, uva-passa e banana 

Jantar
• Omelete feita com 1 ovo, 2 claras, 50 g de frango desfiado, tomate, cebola e cheiro-verde 

Dica da nutricionista: Para não repetir o frango, use queijo branco, atum light em lata ou uma carne na omelete. 

Ceia
• 90 g de iogurte 0% gordura 

Durante todo o dia
• 1 litro de suco de gelatina

Suco de gelatina aumenta saciedade e tira a vontade de comer doce

Além da reeducação alimentar e dos exercícios físicos, a Juliana, nossa super gata da capa, apostou no suco de gelatina para secar 20 kg e conquistar este corpão. A nutricionista Roseli Ueno explica por que deu tão certo:

• Combate a compulsão por doce.

• A versão zero açúcar ajuda a não ingerir calorias extras.

• Como tem sabor, torna o hábito da ingestão de líquidos mais fácil. Muitas pessoas acabam confundindo fome com sede e, por isso, comem além do que realmente precisam.

• Aumenta a saciedade (hidratar sacia porque o estômago está sempre cheio).

Indicação de consumo
A nutricionista Roseli Ueno recomenda a ingestão de um a dois copos pela manhã e de um a dois copos no período da tarde. A única contraindicação fi ca para as pessoas que apresentam alergia a algum dos ingredientes da gelatina.

Não deixe de tomar água!
Segundo a especialista, o suco de gelatina é, sim, um bom truque, mas é preciso também aprender a tomar água, que é mais saudável. “A gelatina tem mais química”, lembra a especialista. Por isso, não esqueça: 1,5 litro de água pura ao longo do dia para intercalar com o suco de gelatina.

Mito
Ao contrário do que muita gente pensa, a gelatina industrializada não traz benefícios à pele. A quantidade de proteínas é mínima e o colágeno quase inexistente. “O colágeno normalmente é encontrado em gelatinas diferenciadas, como as gomas de colágeno consumidas em clínicas de estética”, explica.

Receita do suco de gelatina da Ju

Ingredientes
• 1 envelope de gelatina zero
• 1 litro de água 

Modo de preparo
É como fazer a gelatina tradicional, mas utilizando o dobro de água. Então, é só dissolver o pó em 500 ml de água quente e, depois de dissolvido, juntar os outros 500 ml de água fria. Pode deixar na geladeira para ficar geladinho, pois ela não endurece. Dica da nutricionista Como alternativa, você pode fazer um ponche, ou seja, preparar esse suco de gelatina e incluir frutas picadas. Assim, a bebida hidrata ao mesmo tempo que fornece fibras e antioxidantes. Isso melhora o funcionamento do intestino, faz bem à pele e mantém baixas calorias.



14/09/2015 - 09:30

Conecte-se

Revista Sou mais Eu