"Ganhamos um casamento surpresa da nossa família"

Maira e Diego foram convidados para um aniversário numa chácara e, quando chegaram lá, estava tudo preparado para uma cerimônia!

Reportagem: Christiane Oliveira

Maira e Diego | <i>Crédito: Arquivo Pessoal
Maira e Diego | Crédito: Arquivo Pessoal
Véu, grinalda, vestido branco, tapete vermelho... Assim como muitas mulheres, casar com toda a pompa também era meu sonho. Mas como a grana estava curta, eu e o Diego resolvemos formalizar nossa união apenas no civil, no dia 7 julho deste ano. Foi simples e rápido, meio sem graça até. Aí, após algumas semanas de casamento, fomos convidados para um aniversário na chácara do primo do Diego. Assim que cheguei lá, a Djoyce, outra prima dele, me convidou para um café da tarde na casa dela, que fica perto do sítio. Logo que entrei, ela disse: “Vamos até meu quarto. Quero te mostrar uma coisa”. Quando a Djoyce abriu a porta do dormitório, a irmã e todas as primas do Diego estavam de pé, olhando pra mim com um enorme sorriso no rosto. Fiquei sem entender nada, até que uma delas falou: “Abre a caixa em cima da cama!” Abri, li o convite que estava dentro e quase caí pra trás: eu estava sendo convidada para meu próprio casamento! 

Já tem dez anos que eu e o Diego estamos juntos. Nos conhecemos na faculdade de enfermagem, em 2005, e, quando completamos três anos de namoro, ele se ajoelhou e fez o tão esperado pedido. Enchi a boca e disse “sim” para o meu amor! Nosso plano era fazer o casório dali a três anos. Só que, um ano e meio depois, o Diego passou no vestibular de medicina em outro estado e tivemos que adiar.

Desde então, namoramos à distância. O Diego estuda durante a semana no Espírito Santo e faz plantão no hospital em que eu trabalho aqui na Bahia de sábado e domingo. Toda sexta, ele viaja 12 horas de ônibus para me ver e trabalhar. É muito sacrifício! 

Então, há dois anos, comecei a guardar dinheiro para me casar e ir morar no Espírito Santo com meu amor. O Diego não tinha como fazer economias porque pagava a faculdade e as despesas do apartamento em que morava. Fui disciplinada e, em janeiro do ano passado, já tinha poupado R$ 6 mil. Como queria uma cerimônia simples numa chácara ou sítio, R$ 15 mil eram suficientes. 

Eu estava animada por já ter conseguido juntar quase metade do que precisava. Só que aí minha mãe adoeceu. Ela teve pancreatite e ficou um mês internada num hospital em Salvador. Gastei todas as minhas economias com hotel para ficar ao lado de mamãe acompanhando sua recuperação. Depois foi minha vez. Tive uma infecção de urina muito forte e fiquei 15 dias no hospital. Tudo que juntei foi para o buraco junto com meu sonho. Aí o jeito foi casar apenas no civil... 

Estava tudo do jeito que eu sempre sonhei! 

Mas, um mês depois, fomos convidados para o tal aniversário na chácara e de repente tudo começou a virar um conto de fadas. Quando abri a caixa e vi o convite do meu próprio casamento, comecei a chorar. Nem reparei que, ao lado da caixa, estava meu vestido de noiva! Era lindo, do jeito que eu queria! Mas a ficha ainda não tinha caído direito. “O Diego sabe?”, perguntei. “Não. Fizemos surpresa para os dois!” Só então me dei conta de que elas organizaram um casamento-surpresa pra gente! Aos prantos, abracei todas elas. 

As meninas saíram correndo para se trocar e eu fiquei aos cuidados da Djoyce. Ela me maquiou, arrumou meu cabelo, ajudou a me vestir... Quando finalmente fiquei pronta, um carro parou na porta da casa dela e eu entrei. Estava tão ansiosa... No caminho, pensava: “Como será um casamento em que a noiva não participou dos preparativos?”. 

Andamos por uns 15 minutos até que o motorista estacionou no haras do primo do Diego, em frente ao tapete vermelho. De dentro do carro, eu conseguia ver tudo: as mesas, a decoração, o altar... Estava tudo do jeito que eu queria. Parecia um sonho! E quase caí de costas quando avistei minha família que mora no Rio e alguns amigos esperando para presenciar nossa união. 

Me segurei pra não chorar e estragar a maquiagem. Mas quando meu pai me deu o braço e começamos a caminhar pelo tapete vermelho, vi o Diego com lágrimas nos olhos e desabei! 

Nossa união foi abençoada pelo meu tio, que é pastor. Foi tudo perfeito! Curtimos a noite toda e depois fomos para o hotel que as meninas reservaram para nossa noite de núpcias. Elas pensaram em tudo! Parecia que eu mesma tinha planejado. 

Não tenho nem palavras para agradecer esse presente inesquecível que ganhamos. Foi um grande sonho realizado. Me orgulho muito de ter entrado para essa família! - MAIRA JANARY DE OLIVEIRA FREITAS, 27 anos, enfermeira, Porto Seguro, BA

“Escolhi tudo como se fosse para o meu próprio casamento”

“A gente sabia que casar num cartório com outros tantos casais não era o sonho da Maira e do Diego. Por isso, entramos em ação. Nossa prima Jamile criou um grupo no WhatsApp e lançou a ideia de cada um contribuir com um pouco de dinheiro para organizarmos um casamento-surpresa. Cada família entrou com R$ 140 e conseguimos juntar R$ 2.200. A mãe da Maira pagou o vestido, o buquê e o bolo. Teve bufê e música para 80 convidados. Organizamos o casamento todo em apenas 15 dias! É muito difícil escolher os detalhes para uma festa que não é sua. Quando tinha alguma dúvida, perguntava para a mãe dela. Mas fiz tudo como se fosse para o meu casamento. No final, ficou como a Maira sonhava. No dia seguinte à cerimônia, ela me mostrou uma foto do arranjo que queria para o seu casamento e era igualzinho ao que eu tinha escolhido. Acho que foi inspiração divina. Ver o sonho deles realizado foi impagável!” - DJOYCE HINGRITH, 38 anos, fisioterapeuta, a prima do Diego

“Casamos duas vezes sem esperar”

“Quando a gente decidiu formalizar nossa união no cartório, demos entrada nos papéis e achamos que demoraria uns dois meses até marcarem a data do casório. Mas a atendente disse pra gente voltar no dia seguinte com duas testemunhas. Desconfiados, não levamos ninguém e acabamos pegando duas pessoas na hora para realizar nosso casamento no civil. Foi inesperado e improvisado! Já no dia em que fomos à chácara, meu pai me chamou e mostrou o convite do meu casamento. Fiquei supernervoso. Nossa cerimônia-surpresa foi emocionante. Serei grato à minha família pra sempre!” - DIEGO WAGMACKER, 30 anos, enfermeiro, o marido da Maira

25/09/2015 - 09:30

Conecte-se

Revista Sou mais Eu